Você pode se sentir a vontade para orar com Deus, não existe um muro que separe vocês dois. Após o sacrifício de Jesus, o véu foi rasgado, e o Espírito Santo habita em você. Dessa forma, sua conexão com Deus está estabelecida, Ele está com os ouvidos atentos às suas necessidades.

Texto chave: Hebreus 10:19-25

Tema: Ousadia na oração diante de Deus.

Objetivo: Levar os ouvintes à decisão de querer buscar a presença de Deus em oração, através de um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

Introdução

Portanto, meus irmãos, tendo ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus,
pelo novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, pela sua carne,
e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,
Hebreus 10:19-21

1. Argumentação:

  • Palavra de Deus nos diz que podemos ter ousadia para buscar a presença de Deus.
  • Podemos fazer isso através de Jesus Cristo, que derramou o seu sangue por nós.
  • Através do seu sacrifício pessoal, Jesus abriu um novo e vivo caminho, que permite nos aproximarmos de Deus com ousadia.
  • O véu separava as duas principais salas do templo: o "santo dos santos" e o "santíssimo lugar". Nesse último compartimento somente o sumo sacerdote poderia entrar uma vez a cada ano para oferecer o sacrifício (Hebreus 9:7). Quando Jesus morreu na cruz do Calvário, o véu do templo se rasgou de alto a baixo (Mateus 27:51), demonstrando que a partir desse momento todas as pessoas que creem tem autorização para entrar no santuário de Deus.
  • Jesus Cristo é o nosso grande sumo sacerdote que se ofereceu em sacrifício diante de Deus.

2. Afirmação principal:

Podemos ter ousadia para entrar na presença de Deus em oração, através de Jesus, o nosso grande sumo sacerdote. Ele nos abriu um novo e vivo caminho, por meio do Seu próprio sangue derramado na cruz do Calvário.

O texto de Hebreus 10:22-25 nos mostra três formas de orarmos a Deus com ousadia:

I. Adorando pela em santidade

Adorar significa colocar Deus em primeiro lugar em nossas vidas.

Quando nos aproximamos de Deus em oração, precisamos deixar tudo de lado e nos concentrarmos somente em Deus.

Jesus havia dito para a mulher samaritana, perto do poço de Jacó, que a nossa adoração tem que ser espiritual e verdadeira: João 4:24.

...aproximemo-nos com um coração sincero, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e o corpo lavado com água pura.
Hebreus 10:22

1. Com um coração sincero.

  • A sinceridade é fundamental para desenvolvermos um bom relacionamento com as pessoas.
  • Com Deus é mesma coisa: tem que haver sinceridade.

2. Em plena certeza de fé.

  • A fé é a certeza das coisas que se esperam e a convicção dos fatos que não vemos: Hebreus 11:1.
  • Plena certeza e fé são termos redundantes.
  • O autor usa esse recurso para mostrar a importância da fé no relacionamento com Deus.

De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que recompensa os que o buscam.
Hebreus 11:6

3. Com uma consciência pura.

  • Para termos a consciência pura precisamos ter a certeza de que os nossos pecados foram perdoados.
  • O sangue de Jesus pode nos perdoar de todos os pecados.

4. Com o corpo lavado em água pura.

  • O autor da Carta aos Hebreus faz uma alusão às purificações que os judeus realizavam para oferecer sacrifícios no templo.
  • Da mesma forma devemos nos purificar para nos aproximarmos de Deus.

II. Perseverando por meio da esperança

A esperança é que nos faz seguir em frente.

A esperança é o combustível para a perseverança.

Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel.
Hebreus 10:23

1. Guardando firme a confissão da esperança sem vacilar.

  • Firmeza é fundamental na vida cristã.
  • A confissão da fé que um dia fizemos, jamais pode ser abandonada.
  • A esperança é que nos dá essa força para podermos ficar firmes, sem vacilar.

2. Sabendo que quem fez a promessa é fiel.

  • O Senhor é fiel em Suas promessas.
  • Quando conhecemos a natureza de Deus, sabemos que podemos ter esperança.

Veja ainda: O resultado do compromisso com Deus.

III. Crescendo em amor através da comunhão

Cuidemos também de nos animar uns aos outros no amor e na prática de boas obras.
Não deixemos de nos congregar, como é costume de alguns. Pelo contrário, façamos admoestações, ainda mais agora que vocês veem que o Dia se aproxima.
Hebreus 10:24-25

1. Encorajando uns aos outros no amor e na prática das boas obras.

  • A comunhão com os irmãos na igreja é essencial para o encorajamento.
  • O amor é o fundamento da nossa relação com Deus e com os irmãos.
  • O ânimo que vem de Deus nos leva a orar com ousadia.
  • Esse encorajamento também nos leva à prática das boas obras.

2. Não deixando de congregar como é costume de alguns.

  • Na época que essa carta foi escrita, já haviam cristãos abandonando a comunhão na igreja.
  • A vida de oração deve acontecer no contexto da nossa intimidade, com a porta do quarto fechada, como disse Jesus (Mateus 6:6), mas, também, deve acontecer na coletividade da igreja.

3. Admoestando uns aos outros.

  • O encorajamento é uma forma carinhosa de estimular os irmãos.
  • A admoestação é uma afirmação corretiva que pode nos ajudar na caminhada.
  • Isso acontece no contexto do relacionamento com os irmãos.

4. Porque o "dia" se aproxima.

  • O "dia" aqui significa o dia do juízo final, onde todos prestaremos contas diante de Deus.
  • Entrar na presença de Deus em oração, não é somente uma ousadia, é, também, uma necessidade para ficarmos firmes até a volta de Jesus.

Conclusão

1. Recapitulando:

  • Adorando pela em santidade.
  • Perseverando por meio da esperança.
  • Crescendo em amor através da comunhão.

2. Argumentação:

  • Três elementos surgem aqui: A fé, a esperança e o amor.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior deles é o amor.
1 Coríntios 13:13

3. Ideia principal:

Podemos ter ousadia para entrar na presença de Deus em oração, através de Jesus, o nosso grande sumo sacerdote. Ele abriu um novo e vivo caminho, por meio do Seu próprio sangue derramado na cruz do Calvário.

Veja também: