A doença é uma provação que pode acometer indistintamente qualquer pessoa. E, apesar de não conseguirmos compreender o problema do sofrimento humano, quando ele chega, normalmente questionamos o porquê e qual é a causa de enfrentarmos situações tão difíceis na vida.

Fato é que nem sempre vamos entender a causa de muitos dos nossos problemas. Mas podemos, por meio da fé, compreender para quê certas aflições vêm até nós:

  • Em primeiro lugar, sempre aprendemos e amadurecemos com as nossas fraquezas.
  • Em segundo, aprendemos a depender mais de Deus nas limitações que a vida nos impõe.
  •  E, por último, mas não menos importante: Deus é digno de toda honra e toda a glória. Ele merece receber a glória mesmo de pessoas fragilizadas, em tempos difíceis.

Na Bíblia encontramos inúmeras histórias em que enfermidades foram usadas como instrumento para glorificar ao Senhor. Veja a seguir algumas delas:

1. Úlceras (chagas) - o caso de Jó

Esse talvez seja um dos casos mais representativos de sofrimento na Bíblia. Jó foi ferido por uma chaga maligna, desde a planta dos pés até ao alto da cabeça. Restou para ele o consolo de um caco de telha para raspar suas feridas (Jó 2:7-8). A situação era tão terrível que seus amigos quando chegaram para visitá-lo, ficaram em silêncio durante 7 dias (Jó 2:13).

Porém todos conhecemos o fim da história: através disso tudo Jó pôde conhecer melhor a Deus (Jó 42:2-5). O Senhor mudou a sorte de Jó, restituindo tudo que ele tinha perdido. Jó adorou ao Senhor desde o início e, no fim, reconheceu a soberania e Seu grande poder:

Jó 42:2 e 5 - Histórias de doenças que glorificaram a Deus

A conhecida história de dor, perdas e doença de Jó encoraja muitos crentes a manterem-se firmes na confiança e no amor a Deus em meio ao sofrimento. Além disso, ensina-nos que nem sempre a doença deve ser associada a uma condição espiritual ou uma consequência de pecado da pessoa enferma.

2. Naamã - Alto general fortemente doente

Naamã era um sírio, general de alta patente, que tinha uma doença terrível para a sua época. A história dele é contada no 2º livro dos Reis 5. Apesar dos seus recursos, poder e fama, aquele homem não tinha grande possibilidade de cura nem de tratamento médico para a lepra. Mas havia uma menina, que servia em sua casa, trazida cativa de Israel, e que testemunhou acerca do profeta de Deus. E Naamã creu. O Deus de Israel, todo-poderoso, poderia curar qualquer doença.

Depois de relutar com orgulho,  Naamã se humilhou e obedeceu a palavra do profeta Eliseu. Mergulhou no rio Jordão sete vezes e viu o grande milagre: a sua pele foi totalmente restaurada, para glória de Deus. O general Naamã reconheceu que não há ninguém como Deus:

2 Reis 5:15 - Naama curado e crente em Deus

Esta história mostra-nos que além de curado de sua doença, Naamã saiu crendo no Deus único e verdadeiro. A cura do comandante sírio trouxe glória ao nome de Deus, sendo inclusive lembrada por Jesus (Lucas 4:27). Deus estende a Sua misericórdia e salva aqueles que confiam, de todos  os povos e nações. Vale a pena acreditar em Deus! 

3. A esterilidade de Ana

A história de Ana é contada em 1º Samuel 1 e 2. Se Ana não tivesse passado pelo que passou, muito provavelmente, nós não conheceríamos a história do profeta Samuel como a conhecemos. Ana era estéril e, por isso, era constantemente humilhada pela sua rival Penina (1 Reis 1:6).

Um dia no templo, bastante triste com a sua condição, Ana orou, chorou e clamou ao Senhor. Ela fez-lhe um voto: se Ele lhe concedesse um filho, Ana o consagraria, entregando-o para servir a Deus todos os dias da sua vida.

Para a glória e louvor do Senhor, assim aconteceu. Ana engravidou, teve um filho e cumpriu o seu voto. Esse filho foi um grande homem de Deus na história de Israel, conduzindo o povo, ungiu reis e profetizou a Palavra do Senhor ao seu povo. Deus usou grandemente a vida do sacerdote e juiz Samuel.  Deus tornou a amargura de Ana em alegria e contentamento:

1 Samuel 2:2 - Ana louva ao Senhor pelo milagre

4. O cego de nascença

A história do homem que nasceu cego é narrada no evangelho de João, capítulo 9. Jesus viu-o e seus discípulos lhe questionaram sobre quem teria pecado, se os pais ou o próprio homem, por ter nascido cego. Até hoje é comum o pecado ser vinculado à causa de alguém estar doente. Apesar do mal ter entrado no mundo por causa do pecado universal, nem sempre a doença é sinal de um pecado específico. 

Deus está no controle e, por vezes, usa até mesmo a doença para os seus propósitos.

Jesus surpreendeu seus discípulos, respondendo que o cego tinha nascido assim para que a obra de Deus fosse realizada através dele (João 9:3). O homem foi curado da cegueira de nascença, sendo prova que Jesus é Deus todo poderoso. E, muito mais que a cura física, ele pôde ser curado da cegueira espiritual, crendo que Jesus era o Cristo.

João 9:32-33; 38 - Jesus curou o cego de nascença, e ele creu em Cristo e O adorou

Muitas vezes não compreendemos o propósito de Deus, quando enfrentamos uma enfermidade. Mas aprendemos aqui, que a questão não deve ser o porquê, mas sim o para quê de determinada doença ou situação adversa. Devemos crer no Senhor Jesus, colocando-nos em suas mãos, enxergando pela fé, que Deus pode usar esse evento para Sua glória e para o nosso crescimento. 

5. Os 10 leprosos

A história dos 10 leprosos é contada no Evangelho de Lucas 17:11-19. Nela, vemos a atitude de fé e gratidão de um dos 10 homens curados por Jesus. Todos viviam à margem da sociedade, com uma doença contagiosa e degenerativa, depreciada por todos em Israel. A lepra era uma doença terrível na época. Ela tornava a pele branca e com feridas, que se iam deteriorando aos poucos. Não havia tratamento.

Todos tinham muito medo de serem contagiados e, por isso, os leprosos tinham que viver fora das cidades. Além disso, a própria Lei de Moisés recomendava aos israelitas esse distanciamento dos infectados (Levítico 13:45-46). Os leprosos não podiam se aproximar de ninguém saudável. Familiares e pessoas caridosas deixavam comida para eles fora das cidades, pois não podiam voltar para casa. A menos que, vistos pelos sacerdotes, fossem considerados totalmente recuperados da doença.

O doente da lepra estava obrigado a viver isolado, longe da sociedade, até que se curasse. Mas nesta história vemos um grupo de 10 leprosos juntos. Eles encontraram afinidade a partir da sua doença. Esquecidos pela maioria, certamente aqueles homens ouviram falar dos milagres que Jesus fazia e buscaram por Ele. Respeitando o distanciamento social exigido, eles clamaram  pela misericórdia do Senhor.

Jesus atendeu-os, mandando que fossem se mostrar aos sacerdotes, para que fosse verificado e confirmado que estavam curados da doença, conforme era dito na Lei. E, mesmo sem serem instantaneamente curados, eles creram e obedeceram. Mas quando iam no caminho:

Lucas 17:15-16 - Apenas um dos curados voltam para agradecer a Deus

Embora fossem todos curados na mesma ocasião, nem todos voltaram para glorificar a Deus. Apenas um teve a atitude certa de fé, adoração e agradecimento a Jesus Cristo. O seu coração se encheu da plenitude da graça alcançada, por isso glorificou ao Senhor. Além da cura física, Jesus curou também a doença espiritual daquele samaritano, concedendo-lhe a salvação (Lucas 17:19). 

6. A doença de Paulo

O apóstolo Paulo também tinha uma doença física, conhecida como "espinho na carne" (2 Coríntios 12:7). Não sabemos ao certo que doença era, mas fato é que o limitava fisicamente (Gálatas 4:12-13). 

Estudiosos defendem que, provavelmente, seria um tipo de doença crônica nos olhos. Essa opinião se assenta em algumas possíveis evidências: normalmente Paulo tinha ajudantes a quem ditava suas cartas; há também passagens que falam das suas letras grandes (Gal. 6:11), talvez pela baixa visão. Além disso, há menção de que os gálatas teriam arrancado os próprios olhos e os dado a Paulo (Gal. 4:15).

Contudo, mesmo sem conhecer qual tipo de doença era, sabemos que Deus não curou Paulo daquela enfermidade específica (2 Coríntios 12:8-9). Mesmo assim, Paulo glorificou a Deus reconhecendo que a graça de Deus era suficiente para o sustentar, apesar da doença:

2 Coríntios 12:9

Justos e injustos podem ficar doentes, assim também como o sol nasce sobre bons e maus (Mateus 5:45). Foi assim com Jó, Ana, Paulo e com tantos servos de Deus na história, em todo o mundo. Creia na cura de Deus e busque-o com confiança para isso. Mas, que você possa sempre dizer: seja feita a Tua vontade, Senhor e não a minha...

7. A enfermidade de Lázaro

Lázaro e suas duas irmãs, Marta e Maria eram bons amigos de Jesus. Certa ocasião (João 11), Lázaro ficou doente, mas Jesus não estava por perto. Os 3 irmãos viviam em Betânia, uma aldeia que ficava a leste de Jerusalém, mas Jesus estava fora da Judeia com seus discípulos. A doença possivelmente se agravou, pois as irmãs mandaram avisar ao Senhor Jesus, que Lázaro estava enfermo.

Jesus recebeu as notícias:

João 11:5 - A doença de Lázaro é para a glória de Deus

Certamente pensaríamos que um bom amigo estaria sempre por perto nas horas difíceis. Mas nem sempre é como queremos... Deus, às vezes tem outros planos, e nessa ocasião Jesus estava ausente. As irmãs tentaram tudo o que podiam para cuidar do irmão, mas limitadas, não puderam. O amado irmão acabou falecendo por causa daquela doença inesperada...

E, se o amigo, Senhor Jesus, estivesse por perto, certamente essa tragédia não teria acontecido (Jo. 11:21)... Mas Jesus ainda demorou, ficou mais um tempo onde estava. Perdeu o funeral do amigo, parecia não se importar... Será? Tal como Maria, nós pensamos em muitas coisas nos momentos de dor e sofrimento. Tentamos arranjar um culpado, acusamos, murmuramos, choramos... Mas nem sempre estamos certos nos nossos pensamentos. Jesus se importa com a nossa dor! Ele vem ao nosso encontro e até chora conosco em nosso sofrimento (João 11:35).

Jesus foi glorificado naquele dia, é hoje e será eternamente! Ele provou que é superior à morte! Chamou Lázaro para fora de seu sepulcro e ele voltou à vida! Essa história nos mostra que Jesus é maravilhoso e tem a solução para o maior problema do mundo: o pecado e, consequentemente, a morte. Ele venceu-os na cruz! Ele é a ressurreição e a vida, ainda que morrermos, viveremos com Ele eternamente!

João 11:25-26 - Jesus é a ressurreição e a vida

Que essa esperança guie a sua vida e lhe dê forças na caminhada, em meio a dor e sofrimento. Mas, lembre-se, acima de tudo, importa que Deus seja glorificado.

Mesmo não compreendendo o propósito por traz de doenças, creia que a graça de Deus lhe bastará. Busque ao Senhor, ore, descanse nele confiando de coração. Lembre-se que Deus, pode usar as adversidades para o seu bem:

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.

Romanos 8:28

Ainda que você não veja uma saída, lembre-se que Deus continua no controle, mesmo quando a doença ou outros sofrimentos vierem sobre sua vida. Muitas vezes, as situações adversas e aflições servirão para nos ensinar algo e, principalmente, para glorificar a Deus.

Efésios 1:12 - para que sejamos para o louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo

O  cristão sabe que a finalidade da sua vida deve ser glorificar a Deus. Apesar das circunstâncias, adore-o de todo coração! Glorifique ao Senhor em todo tempo, pois este deve ser o maior alvo da sua vida.

Lembre-se: a condição de saúde perfeita da humanidade foi prejudicada com a entrada do pecado no mundo. E, enquanto estivermos aqui (no mundo corrompido), estaremos sujeitos a doenças e aflições. Mas, se amamos a Deus sobre todas as coisas, quer recebamos o "bem" ou o "mal" (Jó 2:10), tudo servirá para glória do nosso soberano Senhor.

Leia também: 7 Razões para confiar em Deus nas dificuldades