Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho, não se desviará dele. (Provérbios 22:6)

Provérbios 22 é um texto de reflexão do rei Salomão sobre comportamento e boa conduta. Neste capítulo o rei refletiu sobre os valores morais e a importância de implementá-los logo na infância.

Para compreendermos melhor o versículo seis, devemos contextualizar o verso com os 6 primeiros versículos de Provérbios 22:

1. Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro.
2. O rico e o pobre se encontram; a um e a outro faz o Senhor.
3. O prudente vê o mal e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena.
4. O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, e honra, e vida.
5. Espinhos e laços há no caminho do perverso; o que guarda a sua alma retira-se para longe deles.
6. Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.
(Provérbios 22:1-6)

Veja os valores morais de cada versículo:

  • 1º versículo: O rei fala sobre a importância da boa reputação (bom nome).
  • 2º versículo: Mostra a submissão do homem diante de Deus.
  • 3º versículo: Lembra a importância da prudência.
  • 4º versículo: Fala os benefícios da humildade.
  • 5º versículo: Alerta sobre o perigo do caminho da perversidade.
  • 6º versículo: Mostra a importância de ensinar a criança ao longo do caminho em que ela deverá andar.

No sexto versículo o rei Salomão aponta sobre a importância de assimilarmos certas virtudes ainda na infância, para que através do ensino desses valores - a boa reputação, a prudência, a humildade e a submissão a Deus - tenhamos uma boa conduta diante de Deus ao longo da vida.

A instrução desses pontos ainda na primeira idade dá ao indivíduo a capacidade de se desviar do que é mau e caminhar no bom caminho.

Provérbios 22:6 - Ensine a criança no caminho...

Ensine na infância para ter uma vida digna quando crescer

Ensine a Palavra de Deus, os valores cristãos e as virtudes para uma pessoa de bem. Mas no fim a escolha é pessoal. Quando crescer, sua criança irá tomar suas próprias decisões.

Apesar de um sábio conselho, Provérbios 22:6 não se trata de uma promessa. O fato de passarmos esses valores ainda na infância não é garantia de quem recebeu a instrução não terá um desvio de conduta. É evidente que aquele que foi fundamentado na Palavra de Deus logo na infância terá os meios necessários para ter uma vida reta, próspera e digna. Mas, com o livre-arbítrio, cabe sempre a quem recebe o ensino praticar o que aprendeu e permanecer no que foi instruído.

Exemplos na Bíblia de pessoas que foram bem instruídas

Na Bíblia encontramos exemplos de pessoas que foram bem instruídas e optaram por caminhos diferentes. Um caso é do profeta Samuel e os filhos de Eli, Hofni e Fineias. Ambos receberam as mesmas instruções e estavam sob as mesmas condições de ensino. Os filhos de Eli - apesar de sacerdotes - tratavam as coisas de Deus com desprezo, tinham má reputação e cometiam imoralidades dentro do templo (1 Samuel 2:12-23).

Diferente dos filhos de Eli, o pequeno Samuel ministrava no templo e continuava a crescer cada vez mais estimado pelo Senhor e pelo povo, exercendo suas funções com retidão e humildade (1 Samuel 2:18, 26).

Já o descaso de Hofni e Fineias teve consequências catastróficas. Além de Israel perder 30 mil homens em batalha, os irmãos sacerdotes foram mortos e perderam a Arca da Aliança para os filisteus (1 Samuel 4:11). Eli ao saber da notícia - com 98 anos e cego - caiu da cadeira aterrorizado, quebrou o pescoço e morreu. Sua nora - grávida - ao saber dos fatos entrou em trabalho de parto e também veio a falecer (1 Samuel 4:18-19).

Obedecendo bons conselhos

Todas essas coisas sucederam depois do aviso que Deus deu a Eli, que foi infelizmente negligenciado pelo sacerdote. Quando não andamos nos caminhos em que fomos ensinados, podemos praticar justamente os erros que fomos alertados a não cometer. Eli e seus filhos tiveram um fim trágico, mas Samuel - que viveu e aprendeu no templo - continuou em retidão e foi levantado por Deus como profeta de Israel.

Pais permissivos e negligentes tendem a colher frutos amargos no futuro. Os pais são responsáveis pelo cuidado e educação dos filhos. Ame, converse, aconselhe e dê limites às crianças. No início pode ser difícil, mas uma pessoa bem educada apreciará o valor disso no futuro.

Ande no caminho em que a criança deve andar

Desta forma devemos instruir as crianças segundo da Palavra de Deus, dando um bom exemplo através das nossas vidas e sempre os conduzindo às boas práticas. A nossa permanência e atitude reafirmam o que nós ensinamos.

O Apóstolo Paulo, quando instruiu os primeiros cristãos, fez a mesma coisa, se colocou como um exemplo a ser seguido: "Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo" (1 Coríntios 11:1).

De nada adianta passarmos os valores da Palavra de Deus se nós mesmos não andamos segundo o que pregamos. Apesar de pequeninos as crianças percebem o que é certo e o que é errado. Elas notam a hipocrisia e falsidade, assim como a verdade e sinceridade e vão imitar essas coisas.

Quando falamos de Cristo e O imitamos, a criança assimila o que falamos e isso lhes dá segurança e direção. Esta é a melhor forma de ensinar a criança como se deve andar, através do ensino e da prática. Quem instrui desta forma é sábio e terá motivo para grande alegria, pois a instrução recebida não foi jogada fora e certamente produzirá bons frutos!

Saiba mais como ensinar o teu filho(a):