João Batista é popularmente conhecido como o profeta que anunciou a chegada do Messias, batizou Jesus nas águas e pregou o arrependimento dos pecados.

Como profetizado em Isaías 40:3, João Batista era "a voz que clama no deserto" preparando o caminho para o ministério de Jesus Cristo. João Batista foi o último profeta da antiga aliança.

O nascimento de João Batista: o profeta do Altíssimo

O nascimento de João Batista é relatado na Bíblia de forma especial. Isto por que, o seu nascimento está diretamente ligado ao nascimento de Jesus: Isabel, sua mãe e Maria, mãe de Jesus, eram parentes.

Seu nascimento se deu milagrosamente. Os seus pais tinham idades avançadas, além disso, Isabel era estéril. Apesar da sua condição, Isabel sempre pediu a Deus por um filho e suas orações foram atendidas.

Servindo como sacerdote, Zacarias, seu pai, foi surpreendido no templo pela aparição do anjo Gabriel. Ele anunciou que Isabel lhe daria um filho, que seria cheio do Espírito Santo e se chamaria João. Incrédulo, Zacarias questionou o anjo e por causa disto ficou mudo até que a profecia se cumprisse.

No sexto mês de gestação de Isabel, Maria foi visitada pelo anjo Gabriel. Ele avisou da gravidez de sua parente e que ela mesmo teria um filho e se chamaria Jesus! Por isso, a diferença de idade de João Batista para Jesus era de apenas seis meses. Depois dessa revelação, Maria visitou Isabel. Segundo Lucas 1:39-45, quando Maria saudou Isabel, João Batista, ainda no ventre, agitou-se de alegria.

João Nasceu sem problemas e no oitavo dia foi circuncidado. Na cerimônia, Isabel disse que o nome do bebê seria João. O casal foi questionado, pois não haviam parentes com este nome. Zacarias - ainda mudo - pegou uma tábua e escreveu: "o nome dele é João". Ao fazer isso, sua língua se soltou e ele começou a falar, louvando a Deus. A Bíblia registra o cântico de Zacarias em Lucas 1:68-80, onde o sacerdote chama o menino de "profeta do Altíssimo".

A cultura popular cristã adotou a ideia que João Batista e Jesus eram primos, mas não é possível afirmar esse grau de parentesco a partir da Bíblia. Apesar da Bíblia afirmar que Isabel e Maria eram parentes - da palavra grega suggenes - o conceito de primo não era comum na época.

O ministério do profeta João Batista

A Bíblia, em Lucas 3:1-2, diz que João Batista começa a pregar no deserto no "décimo quinto ano do reinado de Tibério César, quando Pôncio Pilatos era governador da Judeia; Herodes, tetrarca da Galileia" e "Anás e Caifás exerciam o sumo sacerdócio". Segundo os estudiosos, esse período equivale ao ano aproximado de 26d.C.

Segundo Lucas 3:3, João Batista "percorreu toda a região próxima ao Jordão, pregando um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados", cumprindo o que foi profetizado pelo profeta Isaías.

O profeta João Batista tinha uma personalidade forte e exerceu o seu ministério com força e coragem. Sua pregação era focado no arrependimento dos pecados através do batismo nas águas e no anúncio da vinda do Messias.

Diferente dos sacerdotes que vestiam roupas valiosas, João peregrinava pelo deserto, comia e se vestia de forma rústica. Podemos dizer que seu ministério foi uma transição entre a antiga e a nova aliança firmada em Jesus.

Principais características de João Batista

  • As roupas de João eram feitas de pelos de camelo, e ele usava um cinto de couro na cintura. O seu alimento era gafanhotos e mel silvestre (Mateus 3:4)
  • Ele e seus discípulos jejuavam com frequência (Mateus 9:14)
  • João Batista tinha uma personalidade forte, e pregava o arrependimento dos pegados com autoridade e poder (Lucas 3:7-9)
  • Anunciou a chegada do Reino de Deus (Mateus 3:2)
  • João confessou publicamente que não era o Cristo, nem Elias (João 1:19-21)
  • Reconheceu Jesus como o Messias, o Cordeiro de Deus (João 1:29,34)
  • Profetizou que Jesus batizaria pelo Espírito Santo (Mateus 3:11)

Sua pregação atraía multidões ao rio Jordão. Até fariseus e saduceus procuraram o batismo nas águas, mas foram exortados pelo profeta. Sua pregação teve tanto impacto que muitos o associavam com Elias e até mesmo o especulavam como o Messias, algo que sempre negou.

João Batista batiza Jesus nas águas do rio Jordão

João Batista sempre reconheceu Jesus como o Salvador do mundo e teve a honra de batizá-lo nas águas do rio Jordão. Ele sabia que não era digno de tal coisa, mas concordou com Jesus que era necessário ser feito para que se cumprisse a Palavra de Deus.

O batismo de Jesus foi algo maravilhoso e João Batista pode presenciar um momento chave da revelação da divindade de Cristo. Como relatado em Mateus 3:13-17, Jesus quando emergiu das águas, os céus se abriram e o Espírito Santo - na forma de uma pomba - pousou sobre Ele. E dos céus soou uma voz dizendo: "Este é o meu Filho amado, de quem me agrado".

Após o batismo, João testificou e testemunhou publicamente que Jesus era o Cordeiro de Deus. Segundo a passagem em João 1:19-28, alguns sacerdotes e levitas especulavam se João Batista era o Messias, ou até mesmo o profeta Elias. Ele negou em alta voz e profetizou que o Messias estava perto.

No dia seguinte a esse fato, João Batista se aproximou de Jesus e confessou publicamente que Ele era o Salvador. Explicando ao povo com detalhes o que acontecera no batismo do rio Jordão, testificando que Jesus era o Filho de Deus. Dessa forma, confirmando tudo que o profetizou durante o seu ministério.

A morte de João Batista

O ministério de João Batista foi exercido cheio de autoridade e transformou a vida de muitos, mas também causou a ira dos políticos e religiosos. João Batista denunciou publicamente o adultério de Herodes Antipas - então governador da Galileia - com Herodias, mulher de seu irmão Felipe. Essa denúncia, além da desconfiança de liderar uma possível revolta, fez com que João Batista fosse preso.

Herodes queria matá-lo, mas com João preso tinha a população sob controle. Durante o aniversário de Herodes, a filha de Herodias agradou-lhe com uma dança e lhe deu o direito de fazer um pedido. A filha de Herodias fez um pedido inusitado, pediu cabeça de João Batista.

Aflito diante dos convidados, fez o que a filha de Herodias pedira, decapitando João na prisão e apresentando a sua cabeça numa bandeja diante dos convidados. O seu corpo foi sepultado por seus discípulos e Jesus foi avisado do ocorrido.

A Bíblia não diz com quantos anos João Batista morreu, mas segundo cálculos dos estudiosos o profeta nasceu no ano 2 a.C e morreu aproximadamente entre o ano 27 a 30 d.C.

Veja também: