Pecado e castigo (episódio bíblico)

Compartilhar no Facebook

Todas as passagens da Bíblia sobre o episódio "Pecado e castigo".

Jeremias 8

4 "Diga a eles: Assim diz o Senhor:
"Quando os homens caem,
não se levantam mais?
Quando alguém se desvia do caminho,
não retorna a ele?

5 Por que será, então,
que este povo se desviou?
Por que Jerusalém persiste
em desviar-se?
Eles apegam-se ao engano
e recusam-se a voltar.

6 Eu ouvi com atenção,
mas eles não dizem o que é certo.
Ninguém se arrepende de sua maldade
e diz: 'O que foi que eu fiz?'
Cada um se desvia
e segue seu próprio curso,
como um cavalo que se lança
com ímpeto na batalha.

7 Até a cegonha no céu
conhece as estações
que lhe estão determinadas,
e a pomba, a andorinha e o tordo
observam a época de sua migração.
Mas o meu povo não conhece
as exigências do Senhor.

8 "Como vocês podem dizer:
'Somos sábios,
pois temos a lei do Senhor',
quando na verdade
a pena mentirosa dos escribas
a transformou em mentira?

9 Os sábios serão envergonhados;
ficarão amedrontados
e serão pegos na armadilha.
Visto que rejeitaram
a palavra do Senhor,
que sabedoria é essa que eles têm?

10 Por isso, entregarei as suas mulheres
a outros homens,
e darei os seus campos
a outros proprietários.
Desde o menor até o maior,
todos são gananciosos;
tanto os sacerdotes como os profetas,
todos praticam a falsidade.

11 Eles tratam da ferida do meu povo
como se ela não fosse grave.
'Paz, paz', dizem,
quando não há paz alguma.

12 Ficaram eles envergonhados
de sua conduta detestável?
Não, eles não sentem vergonha,
nem mesmo sabem corar.
Portanto, cairão entre os que caem;
serão humilhados quando eu os castigar",
declara o Senhor.

13 "Eu quis recolher a colheita deles",
declara o Senhor.
"Mas não há uvas na videira
nem figos na figueira;
as folhas estão secas.
O que lhes dei será tomado deles."

14 Por que estamos sentados aqui?
Reúnam-se!
Fujamos para as cidades fortificadas
e pereçamos ali!
Pois o Senhor, o nosso Deus,
condenou-nos a perecer
e nos deu água envenenada para beber,
porque temos pecado contra ele.

15 Esperávamos a paz,
mas não veio bem algum;
esperávamos um tempo de cura,
mas há somente terror.

16 O resfolegar dos seus cavalos
pode-se ouvir desde Dã;
ao relinchar dos seus garanhões
a terra toda treme.
Vieram para devorar esta terra
e tudo o que nela existe,
a cidade e todos os que nela habitam.

17 "Vejam, estou enviando contra vocês
serpentes venenosas,
que ninguém consegue encantar;
elas morderão vocês, e não haverá remé­dio",
diz o Senhor.

18 A tristeza tomou conta de mim;
o meu coração desfalece.

19 Ouça o grito de socorro da minha filha,
do meu povo,
grito que se estende por toda esta terra:
"O Senhor não está em Sião?
Não se acha mais ali o seu rei?"
"Por que eles me provocaram à ira
com os seus ídolos,
com os seus inúteis
deuses estrangeiros?"

20 Passou a época da colheita,
acabou o verão,
e não estamos salvos.

21 Estou arrasado com a devastação
sofrida pelo meu povo.
Choro muito,
e o pavor se apodera de mim.

22 Não há bálsamo em Gileade?
Não há médico?
Por que será, então,
que não há sinal de cura
para a ferida do meu povo?

Jeremias 9

1 Ah, se a minha cabeça
fosse uma fonte de água
e os meus olhos
um manancial de lágrimas!
Eu choraria noite e dia
pelos mortos do meu povo.

2 Ah, se houvesse um alojamento
para mim no deserto,
para que eu pudesse deixar o meu povo
e afastar-me dele.
São todos adúlteros,
um bando de traidores!

3 "A língua deles é como um arco
pronto para atirar.
É a falsidade, não a verdade,
que prevalece nesta terra.
Eles vão de um crime a outro;
eles não me reconhecem",
declara o Senhor.

4 "Cuidado com os seus amigos,
não confie em seus parentes.
Porque cada parente é um enganador,
e cada amigo um caluniador.

5 Amigo engana amigo,
ninguém fala a verdade.
Eles treinaram a língua
para mentir;
e, sendo perversos,
eles se cansam demais
para se converterem.

6 De opressão em opressão,
de engano em engano,
eles se recusam a reconhecer-me",
declara o Senhor.

7 Portanto, assim diz
o Senhor dos Exércitos:
"Vejam, sou eu que vou refiná-los
e prová-los.
Que mais posso eu fazer
pelo meu povo?

8 A língua deles é uma flecha mortal;
eles falam traiçoeiramente.
Cada um mostra-se cordial
com o seu próximo,
mas no íntimo lhe prepara
uma armadilha.

9 Deixarei eu de castigá-los?",
pergunta o Senhor.
"Não me vingarei
de uma nação como essa?"

10 Chorarei, prantearei
e me lamentarei pelos montes
por causa das pastagens da estepe;
pois estão abandonadas
e ninguém mais as percorre.
Não se ouve o mugir do gado;
tanto as aves como os animais fugiram.

11 "Farei de Jerusalém
um amontoado de ruínas,
uma habitação de chacais.
Devastarei as cidades de Judá
até não restar nenhum morador."

12 Quem é bastante sábio para compreen­der isso? Quem foi instruído pelo Senhor, que possa explicá-lo? Por que a terra está arruinada e devastada como um deserto pelo qual ninguém passa?

13 O Senhor disse: "Foi porque abando­naram a minha lei, que estabeleci diante deles; não me obedeceram nem seguiram a minha lei.

14 Em vez disso, seguiram a dureza de seus próprios corações, indo atrás dos baalins, como os seus antepassados lhes ensinaram".

15 Por isso, assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: "Vejam! Farei este povo comer comida amarga e beber água envenenada.

16 Eu os espa­lharei entre as nações que nem eles nem os seus antepassados conheceram; e enviarei contra eles a espada até exterminá-los".

17 Assim diz o Senhor dos Exércitos:
"Considerem:
Chamem as pranteadoras profissionais;
mandem chamar
as mais hábeis entre elas.

18 Venham elas depressa
e lamentem por nós,
até que os nossos olhos
transbordem de lágrimas
e águas corram de nossas pálpebras.

19 O som de lamento se ouve desde Sião:
'Como estamos arruinados!
Como é grande a nossa humilhação!
Deixamos a nossa terra
porque as nossas casas
estão em ru­ínas' ".

20 Ó mulheres, ouçam agora
a palavra do Senhor;
abram os ouvidos às palavras
de sua boca.
Ensinem suas filhas a lamentar-se;
ensinem umas as outras a prantear.

21 A morte subiu e penetrou
pelas nossas janelas
e invadiu as nossas fortalezas,
eliminando das ruas as crianças
e das praças os rapazes.

22 "Diga: Assim declara o Senhor:
"Cadáveres ficarão estirados
como esterco em campo aberto,
como o trigo deixado para trás
pelo ceifeiro,
sem que ninguém o ajunte."

23 Assim diz o Senhor:
"Não se glorie o sábio em sua sabedoria
nem o forte em sua força
nem o rico em sua riqueza,

24 mas quem se gloriar, glorie-se nisto:
em compreender-me e conhecer-me,
pois eu sou o Senhor
e ajo com lealdade,
com justiça e com retidão sobre a terra,
pois é dessas coisas que me agrado",
declara o Senhor.

25 "Vêm chegando os dias", declara o Senhor, "em que­ castigarei todos os que são circuncidados apenas no corpo,

26 como também o Egito, Judá, Edom, Amom, Moabe e todos os que rapam a cabeça e vivem no deserto; porque todas essas nações são incircuncisas, e a comuni­dade de Israel tem o coração obstinado."

Leia o Capítulo Completo