Uma mensagem sobre Babilónia (episódio bíblico)

Todas as passagens da Bíblia sobre o episódio "Uma mensagem sobre Babilónia".

Jeremias 50

1 Esta é a palavra que o Senhor falou pelo profeta Jeremias acerca da Babilônia e da terra dos babilônios:

2 "Anunciem e proclamem
entre as nações,
ergam um sinal e proclamem;
não escondam nada.
Digam: 'A Babilônia foi conquistada;
Bel foi humilhado,
Marduque está apavorado.
As imagens da Babilônia
estão humilhadas
e seus ídolos apavorados'.

3 Uma nação vinda do norte a atacará,
arrasará a sua terra e não deixará nela
nenhum habitante;
tanto homens como animais fugirão.

4 "Naqueles dias e naquela época",
declara o Senhor,
"o povo de Israel
e o povo de Judá virão juntos,
chorando e buscando
o Senhor,o seu Deus.

5 Perguntarão pelo caminho para Sião
e voltarão o rosto na direção dela.
Virão e se apegarão ao Senhor
numa aliança permanente
que não será esquecida.

6 "Meu povo tem sido ovelhas perdidas;
seus pastores as desencaminharam
e as fizeram perambular pelos montes.
Elas vaguearam por montanhas e colinas
e se esqueceram de seu próprio curral.

7 Todos que as encontram as devoram.
Os seus adversários disseram:
'Não somos culpados,
pois elas pecaram contra o Senhor,
sua verdadeira pastagem,
o Senhor, a esperança
de seus antepassados'.

8 "Fujam da Babilônia;
saiam da terra dos babilônios
e sejam como os bodes
que lideram o rebanho.

9 Vejam! Eu mobilizarei
e trarei contra a Babilônia uma coalizão
de grandes nações do norte.
Elas tomarão posição de combate
contra ela e a conquistarão.
Suas flechas serão
como guerreiros bem treinados,
que não voltam de mãos vazias.

10 Assim a Babilônia será saqueada;
todos os que a saquearem se fartarão",
declara o Senhor.

11 "Ainda que você
esteja alegre e exultante,
você que saqueia a minha herança;
ainda que você seja brincalhão
como uma novilha solta no pasto,
e relinche como os garanhões,

12 sua mãe se envergonhará
profundamente;
aquela que a deu à luz
ficará constrangida.
Ela se tornará a menor das nações,
um deserto, uma terra seca e árida.

13 Por causa da ira do Senhor
ela não será habitada,
mas estará completamente desolada.
Todos os que passarem pela Babilônia
ficarão chocados e zombarão
por causa de todas as suas feridas.

14 "Tomem posição de combate
em volta da Babilônia,
todos vocês que empunham o arco.
Atirem nela! Não poupem flechas,
pois ela pecou contra o Senhor.

15 Soem contra ela um grito de guerra
de todos os lados!
Ela se rende, suas torres caem
e suas muralhas são derrubadas.
Esta é a vingança do Senhor;
vinguem-se dela!
Façam a ela o que ela fez aos outros!

16 Eliminem da Babilônia o semeador
e o ceifeiro, com a sua foice na colheita.
Por causa da espada do opressor,
que cada um volte
para o seu próprio povo,
e cada um fuja para a sua própria terra.

17 "Israel é um rebanho disperso,
afugentado por leões.
O primeiro a devorá-lo
foi o rei da Assíria;
e o último a esmagar os seus ossos
foi Nabucodonosor, rei da Babilônia".

18 Portanto, assim diz
o Senhor dos Exércitos,
o Deus de Israel:
"Castigarei o rei da Babilônia
e a sua terra assim como
castiguei o rei da Assíria.

19 Mas trarei Israel de volta
a sua própria pastagem
e ele pastará no Carmelo e em Basã;
e saciará o seu apetite
nos montes de Efraim e em Gileade.

20 Naqueles dias, naquela época",
declara o Senhor,
"procurarão pela iniquidade de Israel,
mas nada será achado,
pelos pecados de Judá,
mas nenhum será encontrado,
pois perdoarei o remanescente
que eu poupar.

21 "Ataquem a terra de Merataim
e aqueles que moram em Pecode.
Persigam-nos, matem-nos
e destruam-nos totalmente",
declara o Senhor.
"Façam tudo o que ordenei a vocês.

22 Há ruído de batalha na terra;
grande destruição!

23 Quão quebrado e destroçado
está o martelo de toda a terra!
Quão arrasada está a Babilônia
entre as nações!

24 Preparei uma armadilha para você,
ó Babilônia,
e você foi apanhada de surpresa;
você foi achada e capturada
porque se opôs ao Senhor.

25 O Senhor abriu o seu arsenal
e trouxe para fora as armas da sua ira,
pois o Soberano, o Senhor dos Exércitos,
tem trabalho para fazer
na terra dos babilônios.

26 Venham contra ela
dos confins da terra.
Arrombem os seus celeiros;
empilhem-na como feixes de cereal.
Destruam-na totalmente
e não lhe deixem nenhum remanescente.

27 Matem todos os seus
jovens guerreiros!
Que eles desçam para o matadouro!
Ai deles! Pois chegou o seu dia,
a hora de serem castigados.

28 Escutem os fugitivos
e refugiados vindos da Babilônia,
declarando em Sião como o Senhor,
o nosso Deus, se vingou,
como se vingou de seu templo.

29 "Convoquem flecheiros
contra a Babilônia,
todos aqueles que empunham o arco.
Acampem-se todos ao redor dela;
não deixem ninguém escapar.
Retribuam a ela conforme os seus feitos;
façam com ela tudo o que ela fez.
Porque ela desafiou o Senhor,
o Santo de Israel.

30 Por isso, os seus jovens cairão nas ruas
e todos os seus guerreiros
se calarão naquele dia",
declara o Senhor.

31 "Veja, estou contra você,
ó arrogante",
declara o Soberano,
o Senhor dos Exércitos,
"pois chegou o seu dia,
a sua hora de ser castigada.

32 A arrogância tropeçará e cairá,
e ninguém a ajudará a se levantar.
Incendiarei as suas cidades,
e o fogo consumirá tudo ao seu redor".

33 Assim diz o Senhor dos Exércitos:
"O povo de Israel está sendo oprimido
e também o povo de Judá.
Todos os seus captores
os prendem à força,
recusando deixá-los ir.

34 Contudo, o Redentor deles é forte;
Senhor dos Exércitos é o seu nome.
Ele mesmo defenderá a causa deles
e trará descanso à terra,
mas inquietação
aos que vivem na Babilônia.

35 "Uma espada contra os babilônios!",
declara o Senhor;
"contra os que vivem na Babilônia
e contra seus líderes e seus sábios!

36 Uma espada contra
os seus falsos profetas!
Eles se tornarão tolos.
Uma espada contra os seus guerreiros!
Eles ficarão apavorados.

37 Uma espada contra os seus cavalos,
contra os seus carros de guerra
e contra todos os estrangeiros
em suas fileiras!
Eles serão como mulheres.
Uma espada contra os seus tesouros!
Eles serão saqueados.

38 Uma espada contra as suas águas!
Elas secarão.
Porque é uma terra
de imagens esculpidas,
e eles enlouquecem
por causa de seus ídolos horríveis.

39 "Por isso, criaturas do deserto e hienas
nela morarão,
e as corujas nela habitarão.
Ela jamais voltará a ser povoada
nem haverá quem nela viva no futuro.

40 Como Deus destruiu
Sodoma e Gomorra
e as cidades vizinhas",
diz o Senhor,
"ninguém mais habitará ali,
nenhum homem residirá nela.

41 "Vejam! Vem vindo um povo do norte;
uma grande nação
e muitos reis se mobilizam
desde os confins da terra.

42 Eles empunham o arco e a lança;
são cruéis e não têm misericórdia,
e o seu barulho é como
o bramido do mar.
Vêm montados em seus cavalos,
em formação de batalha,
para atacá-la, ó cidade de Babilônia.

43 Quando o rei da Babilônia
ouviu relatos sobre eles,
as suas mãos amoleceram.
A angústia tomou conta dele,
dores como as de uma mulher
que está dando à luz.

44 Como um leão
que sobe da mata do Jordão
em direção aos pastos verdejantes,
subitamente eu caçarei a Babilônia
pondo-a fora de sua terra.
Quem é o escolhido
que designarei para isso?
Quem é como eu que possa me desafiar?
E que pastor pode me resistir?"

45 Por isso ouçam o que
o Senhor planejou contra a Babilônia,
o que ele preparou
contra a terra dos babilônios:
os menores do rebanho
serão arrastados,
e as pastagens ficarão devastadas
por causa deles.

46 Ao som da tomada da Babilônia
a terra tremerá;
o grito deles ressoará entre as nações.

Jeremias 51

1 Assim diz o Senhor:
"Vejam! Levantarei um vento destruidor
contra a Babilônia,
contra o povo de Lebe-Camai.

2 Enviarei estrangeiros para a Babilônia
a fim de peneirá-la como trigo
e devastar a sua terra.
No dia de sua desgraça
virão contra ela de todos os lados.

3 Que o arqueiro não arme o seu arco
nem vista a sua armadura.
Não poupem os seus jovens guerreiros,
destruam completamente
o seu exército.

4 Eles cairão mortos na Babilônia,
mortalmente feridos em suas ruas.

5 Israel e Judá não foram abandonadas
como viúvas pelo seu Deus,
o Senhor dos Exércitos,
embora a terra dos babilônios
esteja cheia de culpa
diante do Santo de Israel.

6 "Fujam da Babilônia!
Cada um por si!
Não sejam destruídos
por causa da iniquidade dela.
É hora da vingança do Senhor;
ele lhe pagará o que ela merece.

7 A Babilônia era um cálice de ouro
nas mãos do Senhor;
ela embriagou a terra toda.
As nações beberam o seu vinho;
por isso enlouqueceram.

8 A Babilônia caiu de repente
e ficou arruinada.
Lamentem-se por ela!
Consigam bálsamo para a sua ferida;
talvez ela possa ser curada.

9 " 'Gostaríamos de ter curado Babilônia,
mas ela não pode ser curada;
deixem-na
e vamos, cada um para a sua própria terra,
pois o julgamento dela chega ao céu,
eleva-se tão alto quanto as nuvens.

10 " 'O Senhor defendeu o nosso nome;
venham, contemos em Sião o que
o Senhor, o nosso Deus, tem feito'.

11 "Afiem as flechas,
peguem os escudos!
O Senhor incitou o espírito
dos reis dos medos,
porque seu propósito
é destruir a Babilônia.
O Senhor se vingará,
se vingará de seu templo.

12 Ergam o sinal para atacar
as muralhas da Babilônia!
Reforcem a guarda!
Posicionem as sentinelas!
Preparem uma emboscada!
O Senhor executará o seu plano,
o que ameaçou fazer
contra os habitantes da Babilônia.

13 Você que vive junto a muitas águas
e está rico de tesouros,
chegou o seu fim,
a hora de você ser eliminado.

14 O Senhor dos Exércitos
jurou por si mesmo:
Com certeza a encherei de homens,
como um enxame de gafanhotos,
e eles gritarão triunfantes sobre você.

15 "Mas foi Deus quem fez a terra
com o seu poder;
firmou o mundo com a sua sabedoria
e estendeu os céus
com o seu entendimento.

16 Ao som do seu trovão,
as águas no céu rugem;
ele faz com que as nuvens se levantem
desde os confins da terra.
Ele faz relâmpagos para a chuva
e faz sair o vento de seus depósitos.

17 "São todos eles estúpidos e ignorantes;
cada ourives é envergonhado
pela imagem que esculpiu.
Suas imagens esculpidas
são uma fraude,
elas não têm fôlego de vida.

18 Elas são inúteis,
são objeto de zombaria.
Quando vier o julgamento delas,
perecerão.

19 Aquele que é a Porção de Jacó
não é como esses,
pois ele é quem forma todas as coisas,
e Israel é a tribo de sua propriedade;
Senhor dos Exércitos
é o seu nome.

20 "Você é o meu martelo,
a minha arma de guerra.
Com você eu despedaço nações,
com você eu destruo reinos,

21 com você despedaço
cavalo e cavaleiro,
com você despedaço
carro de guerra e cocheiro,

22 com você despedaço homem e mulher,
com você despedaço velho e jovem,
com você despedaço rapaz e moça,

23 com você despedaço pastor e rebanho,
com você despedaço lavrador e bois,
com você despedaço
governadores e oficiais.

24 "Retribuirei à Babilônia e a todos os que vivem na Babilônia toda a maldade que fizeram em Sião diante dos olhos de vocês", declara o Senhor.

25 "Estou contra você,
ó montanha destruidora,
você que destrói a terra inteira",
declara o Senhor.
"Estenderei minha mão contra você,
eu a farei rolar dos penhascos,
e farei de você
uma montanha calcinada.

26 Nenhuma pedra sua será cortada
para servir de pedra angular,
nem para um alicerce,
pois você estará arruinada para sempre",
declara o Senhor.

27 "Ergam um estandarte na terra!
Toquem a trombeta entre as nações!
Preparem as nações
para o combate contra ela;
convoquem contra ela estes reinos:
Ararate, Mini e Asquenaz.
Nomeiem um comandante contra ela;
lancem os cavalos ao ataque
como um enxame de gafanhotos.

28 Preparem as nações
para o combate contra ela:
os reis dos medos, seus governadores
e todos os seus oficiais
e todos os países que governam.

29 A terra treme e se contorce de dor,
pois permanecem em pé
os planos do Senhor
contra a Babilônia:
desolar a terra da Babilônia
para que fique desabitada.

30 Os guerreiros da Babilônia
pararam de lutar;
permanecem em suas fortalezas.
A força deles acabou;
tornaram-se como mulheres.
As habitações dela estão incendiadas;
as trancas de suas portas
estão quebradas.

31 Um emissário vai após outro,
e um mensageiro sai
após outro mensageiro
para anunciar ao rei da Babilônia
que sua cidade inteira foi capturada,

32 os vaus do rio foram tomados,
a vegetação dos pântanos foi incendiada,
e os soldados ficaram aterrorizados."

33 Assim diz o Senhor dos Exércitos,
Deus de Israel:
"A cidade de Babilônia é como uma eira;
a época da colheita
logo chegará para ela".

34 "Nabucodonosor, rei da Babilônia,
devorou-nos, lançou-nos em confusão,
fez de nós um jarro vazio.
Tal como uma serpente ele nos engoliu,
encheu seu estômago
com nossas finas comidas
e então nos vomitou.

35 Que a violência
cometida contra nossa carne
esteja sobre a Babilônia",
dizem os habitantes de Sião.
"Que o nosso sangue esteja sobre
aqueles que moram na Babilônia",
diz Jerusalém.

36 Por isso, assim diz o Senhor:
"Vejam, defenderei a causa de vocês
e os vingarei;
secarei o seu mar
e esgotarei as suas fontes.

37 A Babilônia se tornará
um amontoado de ruínas,
uma habitação de chacais,
objeto de pavor e de zombaria,
um lugar onde ninguém vive.

38 O seu povo todo
ruge como leõezinhos,
rosnam como filhotes de leão.

39 Mas, enquanto estiverem excitados,
prepararei um banquete para eles
e os deixarei bêbados,
para que fiquem bem alegres
e, então, durmam e jamais acordem",
declara o Senhor.

40 "Eu os levarei como cordeiros
para o matadouro,
como carneiros e bodes.

41 "Como Sesaque será capturada!
Como o orgulho de toda a terra será tomado!
Que horror a Babilônia
será entre as nações!

42 O mar se levantará sobre a Babilônia;
suas ondas agitadas a cobrirão.

43 Suas cidades serão arrasadas,
uma terra seca e deserta,
uma terra onde ninguém mora,
pela qual nenhum homem passa.

44 Castigarei Bel na Babilônia
e o farei vomitar o que engoliu.
As nações não mais acorrerão a ele.
E a muralha da Babilônia cairá.

45 "Saia dela, meu povo!
Cada um salve a sua própria vida,
da ardente ira do Senhor.

46 Não desanimem
nem tenham medo
quando ouvirem rumores na terra;
um rumor chega este ano,
outro no próximo,
rumor de violência na terra
e de governante contra governante.

47 Portanto, certamente vêm os dias
quando castigarei as imagens
esculpidas da Babilônia;
toda a sua terra será envergonhada,
e todos os seus mortos jazerão
caídos dentro dela.

48 Então o céu e a terra
e tudo o que existe neles
gritarão de alegria
por causa da Babilônia,
pois do norte destruidores a atacarão",
declara o Senhor.

49 "A Babilônia cairá
por causa dos mortos de Israel,
assim como os mortos de toda a terra
caíram por causa da Babilônia.

50 Vocês que escaparam da espada,
saiam! Não permaneçam!
Lembrem-se do Senhor
numa terra distante,
e pensem em Jerusalém.

51 "Vocês dirão: 'Estamos envergonhados,
pois fomos insultados
e a vergonha cobre o nosso rosto,
porque estrangeiros penetraram
nos lugares santos
do templo do Senhor'.

52 "Portanto, certamente vêm os dias",
declara o Senhor,
"quando castigarei
as suas imagens esculpidas,
e por toda a sua terra
os feridos gemerão.

53 Mesmo que a Babilônia chegue ao céu
e fortifique no alto a sua fortaleza,
enviarei destruidores contra ela",
declara o Senhor.

54 "Vem da Babilônia o som de um grito;
o som de grande destruição
vem da terra dos babilônios.

55 O Senhor destruirá a Babilônia;
ele silenciará o seu grande ruído.
Ondas de inimigos avançarão
como grandes águas;
o rugir de suas vozes ressoará.

56 Um destruidor virá contra a Babilônia;
seus guerreiros serão capturados,
e seus arcos serão quebrados.
Pois o Senhor é um
Deus de retribuição;
ele retribuirá plenamente.

57 Embebedarei os seus líderes
e os seus sábios;
os seus governadores,
os seus oficiais e os seus guerreiros.
Eles dormirão para sempre
e jamais acordarão",
declara o Rei,
cujo nome é Senhor dos Exércitos.

58 Assim diz o Senhor dos Exércitos:
"A larga muralha da Babilônia
será desmantelada
e suas altas portas serão incendiadas.
Os povos se exaurem por nada,
o trabalho das nações não passa
de combustível para as chamas".

59 Esta é a mensagem que Jeremias deu ao responsável pelo acampamento, Seraías, filho de Nerias, filho de Maaseias, quando ele foi à Babilônia com o rei Zedequias de Judá, no quarto ano do seu reinado.

60 Jeremias escreveu num rolo todas as desgraças que sobreviriam à Babilônia, tudo que fora registrado acerca da Babilônia.

61 Ele disse a Seraías: "Quando você chegar à Babilônia, tenha o cuidado de ler todas estas palavras em alta voz.

62 Então diga: Ó Senhor, disseste que destruirás este lugar, para que nem homem nem animal viva nele, pois ficará em ruínas para sempre.

63 Quando você terminar de ler este rolo, amarre nele uma pedra e atire-o no Eufrates.

64 Então diga: Assim Babilônia afundará para não mais se erguer, por causa da desgraça que trarei sobre ela. E seu povo cairá".
Aqui terminam as palavras de Jeremias.

Leia o Capítulo Completo
Quer Receber Mensagens Bíblicas?