Aviso contra o adultério (episódio bíblico)

Compartilhar no Facebook

Todas as passagens da Bíblia sobre o episódio "Aviso contra o adultério".

Este episódio está presente em:

Leia todos os textos deste episódio:

Provérbios 5

1 Meu filho,
dê atenção à minha sabedoria,
incline os ouvidos
para perceber o meu discernimento.

2 Assim você manterá o bom senso,
e os seus lábios
guardarão o conhecimento.

3 Pois os lábios da mulher imoral
destilam mel,
sua voz é mais suave que o azeite;

4 mas no final é amarga como fel,
afiada como uma espada de dois gumes.

5 Os seus pés descem para a morte;
os seus passos conduzem diretamente
para a sepultura.

6 Ela nem percebe que anda
por caminhos tortuosos
e não enxerga a vereda da vida.

7 Agora, então, meu filho, ouça-me;
não se desvie das minhas palavras.

8 Fique longe dessa mulher;
não se aproxime da porta de sua casa,

9 para que você não entregue aos outros
o seu vigor
nem a sua vida a algum homem cruel,

10 para que estranhos
não se fartem do seu trabalho
e outros não se enriqueçam
à custa do seu esforço.

11 No final da vida você gemerá,
com sua carne
e seu corpo desgastados.

12 Você dirá: "Como odiei a disciplina!
Como o meu coração
rejeitou a repreensão!

13 Não ouvi os meus mestres
nem escutei os que me ensinavam.

14 Cheguei à beira da ruína completa,
à vista de toda a comunidade".

15 Beba das águas da sua cisterna,
das águas que brotam do seu próprio poço.

16 Por que deixar que as suas fontes
transbordem pelas ruas,
e os seus ribeiros pelas praças?

17 Que elas sejam exclusivamente suas,
nunca repartidas com estranhos.

18 Seja bendita a sua fonte!
Alegre-se com a esposa da sua juventude.

19 Gazela amorosa, corça graciosa;
que os seios de sua esposa
sempre o fartem de prazer,
e sempre o embriaguem os carinhos dela.

20 Por que, meu filho, ser desencaminhado
pela mulher imoral?
Por que abraçar o seio de uma leviana?

21 O Senhor vê os caminhos do homem
e examina todos os seus passos.

22 As maldades do ímpio o prendem;
ele se torna prisioneiro
das cordas do seu pecado.

23 Certamente morrerá
por falta de disciplina;
andará cambaleando
por causa da sua insensatez.

Provérbios 6

20 Meu filho,
obedeça aos mandamentos de seu pai
e não abandone o ensino de sua mãe.

21 Amarre-os sempre junto ao coração;
ate-os ao redor do pescoço.

22 Quando você andar, eles o guiarão;
quando dormir,
o estarão protegendo;
quando acordar, falarão com você.

23 Pois o mandamento é lâmpada,
a instrução é luz,
e as advertências da disciplina
são o caminho que conduz à vida;

24 eles o protegerão da mulher imoral,
e dos falsos elogios da mulher leviana.

25 Não cobice em seu coração a sua beleza
nem se deixe seduzir por seus olhares,

26 pois o preço de uma prostituta
é um pedaço de pão,
mas a adúltera sai à caça
de vidas preciosas.

27 Pode alguém colocar fogo no peito
sem queimar a roupa?

28 Pode alguém andar sobre brasas
sem queimar os pés?

29 Assim acontece com quem se deita
com mulher alheia;
ninguém que a toque ficará sem castigo.

30 O ladrão não é desprezado
se, faminto, rouba para matar a fome.

31 Contudo, se for pego,
deverá pagar sete vezes o que roubou,
embora isso lhe custe
tudo o que tem em casa.

32 Mas o homem que comete adultério
não tem juízo;
todo aquele que assim procede
a si mesmo se destrói.

33 Sofrerá ferimentos e vergonha,
e a sua humilhação jamais se apagará,

34 pois o ciúme desperta a fúria do marido,
que não terá misericórdia
quando se vingar.

35 Não aceitará nenhuma compensação;
os melhores presentes não o acalmarão.

Provérbios 7

1 Meu filho, obedeça às minhas palavras
e no íntimo guarde os meus mandamentos.

2 Obedeça aos meus mandamentos,
e você terá vida;
guarde os meus ensinos
como a menina dos seus olhos.

3 Amarre-os aos dedos;
escreva-os na tábua do seu coração.

4 Diga à sabedoria: "Você é minha irmã",
e chame ao entendimento seu parente;

5 eles o manterão afastado
da mulher imoral,
da mulher leviana
com suas palavras sedutoras.

6 Da janela de minha casa
olhei através da grade

7 e vi entre os inexperientes,
no meio dos jovens,
um rapaz sem juízo.

8 Ele vinha pela rua,
próximo à esquina de certa mulher,
andando em direção à casa dela.

9 Era crepúsculo, o entardecer do dia,
chegavam as sombras da noite,
crescia a escuridão.

10 A mulher veio então ao seu encontro,
vestida como prostituta,
cheia de astúcia no coração.

11 (Ela é espalhafatosa e provocadora,
seus pés nunca param em casa;

12 uma hora na rua, outra nas praças,
em cada esquina fica à espreita.)

13 Ela agarrou o rapaz,
beijou-o e lhe disse descaradamente:

14 "Tenho em casa
a carne dos sacrifícios de comunhão,
que hoje fiz para cumprir os meus votos.

15 Por isso saí para encontrá-lo;
vim à sua procura e encontrei!

16 Estendi sobre o meu leito
cobertas de linho fino do Egito.

17 Perfumei a minha cama
com mirra, aloés e canela.

18 Venha, vamos embriagar-nos
de carícias até o amanhecer;
gozemos as delícias do amor!

19 Pois o meu marido não está em casa;
partiu para uma longa viagem.

20 Levou uma bolsa cheia de prata
e não voltará antes da lua che­ia".

21 Com a sedução das palavras o persuadiu
e o atraiu com o dulçor dos lábios.

22 Imediatamente ele a seguiu
como o boi levado ao matadouro,
ou como o cervo que vai cair no laço

23 até que uma flecha lhe atravesse o fígado,
ou como o pássaro que salta
para dentro do alçapão,
sem saber que isso lhe custará a vida.

24 Então, meu filho, ouça-me;
dê atenção às minhas palavras.

25 Não deixe que o seu coração
se volte para os caminhos dela,
nem se perca em tais veredas.

26 Muitas foram as suas vítimas;
os que matou são uma grande multidão.

27 A casa dela é um caminho que desce
para a sepultura,
para as moradas da morte.

Leia os Capítulos Completos
Mensagens Bíblicas por Email: